Alertar ao Brasil

O texto preconceituoso de Gilberto Dimenstein contra os evangélico

Gilberto Dimenstein, para manter a tradição — a seu modo, é um conservador, com sua mania de jamais surpreender — , resolveu dar mais uma contribuição notável ao equívoco ao escrever hoje na Folha Online sobre a Marcha para Jesus e sobre a parada gay. Segue seu texto em vermelho. Comento em azul.

São Paulo é mais gay ou evangélica?

Sem qualquer investimento voluntário na polissemia, é um texto tolo de cabo a rabo; do título à última linha. São Paulo nem é “mais gay” nem é “mais evangélica”. Fizesse tal consideração sentido, a cidade é “mais heterossexual” e “mais católica”, porque são essas as maiorias, embora não-militantes. Ora, se a diversidade é um dos aspectos positivos da cidade, como sustenta o articulista, é irrelevante saber se a cidade é “mais isso” ou “mais aquilo”, até porque não se trata de categorias excludentes. Se número servisse para determinar o “ser” da cidade — e Dimenstein recorre ao verbo “ser” —, IBGE e Datafolha mostram que os cristãos, no Brasil, ultrapassam os 90%.

Como considero a diversidade o ponto mais interessante da cidade de São Paulo, gosto da idéia de termos, tão próximas, as paradas gay e evangélica tomando as ruas pacificamente. Tão próximas no tempo e no espaço, elas têm diferenças brutais.

Nessas poucas linhas, o articulista quer afastar a suspeita de que seja preconceituoso. Está, vamos dizer assim, preparando o bote. Vamos ver.

Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados. Já a parada evangélica não respeita os direitos dos gays (o que, vamos reconhecer, é um direito deles). Ou seja, quer uma sociedade com menos direitos e menos diversidade.

Está tudo errado! Pra começo de conversa, que história é essa de que “é um direito” dos evangélicos “não respeitar” os direitos dos gays? Isso é uma boçalidade! Nenhum evangélico reivindica o “direito” de “desrespeitar direitos” alheios. A frase é marota porque embute uma acusação, como se evangélicos reivindicassem o “direito” de desrespeitar os outros.

Agora vamos ver quem quer tirar o direito de quem. O tal PLC 122, por exemplo, pretende retirar dos evangélicos — ou, mais amplamente, dos cristãos — o direito de expressar o que  suas respectivas denominações religiosas pensam sobre a prática homossexual. Vale dizer: são os militantes gays (e não todos os gays), no que concerne aos cristãos, que “reivindicam uma sociedade com menos direitos e menos diversidade”. Quer dizer que a era da afirmação das identidades proibiria cristãos, ou evangélicos propriamente, de expressar a sua? Mas Dimenstein ainda não nos ofereceu o seu pior. Vem agora.

Os gays usam a alegria para falar e se manifestar. A parada evangélica tem um ranço um tanto raivoso, já que, em meio à sua pregação, faz ataques a diversos segmentos da sociedade. Nesse ano, um do seus focos foi o STF.

Milhões de evangélicos se reuniram ontem nas ruas e praças, e não se viu um só incidente. A manifestação me pareceu bastante alegre, porém decorosa. Para Dimenstein, no entanto, a “alegria”, nessa falsa polarização que ele criou entre gays e evangélicos, é monopólio dos primeiros. Os segundos seriam os monopolistas do “ranço um tanto raivoso”. Ele pretende evidenciar o que diz por meio da locução conjuntiva causal “já que”, tropeçando no estilo e no fato.  A marcha evangélica, diz, “faz ataques a diversos segmentos da sociedade” — neste ano, “o STF”. O democrata Gilberto Dimenstein acredita que protestar contra uma decisão da Justiça é prova de ranço e intolerância, entenderam? Os verdadeiros democratas sempre se contentam com a ordem legal como ela é. Sendo assim, por que os gays estariam, então, empenhados em mudá-la? No fim das contas, para o articulista, os gays são naturalmente progressistas, e tudo o que fizerem, pois, resulta em avanço; e os evangélicos são naturalmente reacionários, e tudo o que fizerem, pois, resulta em atraso. Que nome isso tem? PRECONCEITO!

Por trás da parada gay, não há esquemas políticos nem partidários.

Bem, chego a duvidar que Gilberto Dimenstein estivesse sóbrio quando escreveu essa coluna. Não há?

Na parada evangélica há uma relação que mistura religião com eleições, basta ver o número de políticos no desfile em posição de liderança.

Em qualquer país do mundo democrático, questões religiosas e morais se misturam ao debate eleitoral, e isso é parte do processo. Políticos também desfilam nas paradas gays, como todo mundo sabe.

Isso para não falar de muitos personagens que, se não têm contas a acertar com Deus, certamente têm com a Justiça dos mortais, acusados de fraudes financeiras.

Todos sabem que o PT é o grande incentivador dos movimentos gays. Como é notório, trata-se de um partido acima de qualquer suspeita, jamais envolvido em falcatruas, que pauta a sua atuação pelo mais rigoroso respeito às leis, aos bons costumes e à verdade.

Nada contra –muito pelo contrário– o direito dos evangélicos terem seu direito de se manifestarem. Mas prefiro a alegria dos gays que querem que todos sejam alegres. Inclusive os evangélicos.

Gilberto Dimenstein precisa estudar o emprego do infinitivo flexionado. A inculta e bela virou uma sepultura destroçada no trecho acima. Mas é pior o que ele diz do que a forma como diz. Que história é essa de “nada contra”? Sim, ele escreve um texto contra o direito de manifestação dos evangélicos. O fato de ele negar que o faça não muda a natureza do seu texto. Ora, vejam como os militantes gays são bonzinhos — querem que todos sejam alegres —, e os evangélicos são maus: pretendem tolher a livre manifestação do outro. SÓ QUE HÁ UMA DIFERENÇA QUE A ESTUPIDEZ DO TEXTO DE DIMENSTEIN NÃO CONSIDERA: SÃO OS MILITANTES GAYS QUE QUEREM MANDAR OS EVANGÉLICOS PARA A CADEIA, NÃO O CONTRÁRIO. São os movimentos gays que querem rasgar o Artigo 5º da Constituição, não os evangélicos.

 

Civilidade é a diversidade. São Paulo, portanto, é mais gay do que evangélica.

Hein??? A conclusão, obviamente, não faz o menor sentido nem decorre da argumentação. Aquele “portanto” dá a entender que o autor demonstrou uma tese. Bem, por que a conclusão de um texto sem sentido faria sentido? Termina tão burro e falacioso como começou.

Fonte: Reinaldo Azevedo (Revista Veja)

Anúncios

Arquivado em:Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Vídeo da Prefeitura para atrair gays de todo o mundo ao Rio

Ouça esta mensagem …

Um ALERTA sobre a DITADURA GAY no Brasil

RSS Teóphilo Noturno

  • Aparelhamento 18/05/2014
    Meu silêncio não significa covardia... muito menos ignorância! Tenho visto os rumos das coisas – em áreas aparentemente sem conexão entre si – e posso dizer que a Palavra de Deus se cumpre com exatidão milimétrica: os servos das trevas estão a cada dia mais poderosos e destemidos, sem vergonha de ganir suas depravações e deturpações onde quer que seja, chama […]
    Teophilo Noturno
  • Cristianofobia Generalizada 09/07/2013
    Olá irmão, a Paz de Cristo para sua vida. Sou um estudante de João Pessoa, tenho 16 anos e tenho algumas dúvidas a respeito do evangelho. Você poderia me responder? Faço o 3º ano do ensino médio e uma professora minha, de história, entrou com uns assuntos de Egito, Mesopotâmia, Hebreus e, no que se diz respeito a Bíblia, ela diz que o novo testamento é uma i […]
    Teophilo Noturno
  • "Ser Gay" Não É Doença! 24/06/2013
    “Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus […]
    Teophilo Noturno
  • Os Desigrejados e As Portas do Inferno 02/05/2013
    “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mateus 16:18) Tenho certeza absoluta de que fiz parte da igreja de Filadélfia e, desde o início de meu ministério, a passagem acima sempre me foi bastante enigmática (e até mesmo frustrante), pois meu testemunho pessoal […]
    Teophilo Noturno
  • Nova Forma, A Mesma Velha Mensagem 28/04/2013
    Não resta dúvida que tenho sido muito mais atuante nas redes sociais, mais especificamente no facebook, que por aqui… porém me dei conta que podem existir muitos leitores necessitando ser informados de tudo que ando fazendo que, no final das contas, não chega a ser nada de novo. “E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, a […]
    Teophilo Noturno
  • Desafio Aos Profetas 21/03/2013
    Profetas patéticos ou patetas proféticos? Eis o retrato de nossos dias… A cada manhã vejo as redes sociais sendo inundadas por “profecias” aparentemente bem intencionadas: alegria, saúde, felicidade, riqueza… Eventualmente, por não engolir as mentiras gospel, também sofro com as terríveis “maldições proféticas”: descerás a sepultura, a “mão do sinhô” vai pes […]
    Teophilo Noturno
  • Decepções… ao Cubo! 18/03/2013
    Voltei. Tenho muitas coisas a dizer e a primeira delas é agradecer ao Senhor Deus por tudo: pelas tantas coisas maravilhosas que excederam quaisquer expectativas que eu pudesse ter, pelas lições que tive e estou tendo a cada momento… tanta coisa que simples palavra nunca poderiam expressar minha gratidão, assim como tamanha benignidade me remete à relevância […]
    Teophilo Noturno
  • Aparências 02/08/2012
    Já passamos do meio de 2012: estamos vivendo no que podemos chamar de “futuro”!!! Diante de tantas expectativas registradas no decorrer da história humana, podemos ter a certeza de que isso aqui é… a mais completa decepção. Não quero dizer isso em relação aos avanços tecnológicos (apesar de estar esperando até hoje pelos carros voadores de “Os Jetsons”), mas […]
    Teophilo Noturno
  • Jejum E Cabeça de Bacalhau 13/06/2012
    Tenho observado que existe um tipo de “conversinha” aparentemente cheia de boas intenções que, no final das contas, se revela repleta de pequenas malignidades e deturpações — uma verdadeira “mistura de estações” — servindo para impor e concretizar a apostasia profética final. Os episódios que presencio são, geralmente, em língua portuguesa do Brasil, mas me […]
    Teophilo Noturno
  • Ponto Para Os Ateus! 10/05/2012
    Não sou de discutir com os ateus — é um direito deles que se recusem a crer em qualquer coisa que se relacione ao Senhor Deus e, uma vez avisados, que assumam as consequências por suas opções (pois seu sangue não clamará em minhas mãos) — acho muito ruim quando uma pessoa (tentando ser “cristã”) fica funhenhando a paciência de alguém (não apenas os ateus!), […]
    Teophilo Noturno

RSS Mídia Sem Máscara

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Olho no Brasil

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: